Saiba quais são as profissões do futuro e as que correm risco de extinção

Saiba quais são as profissões do futuro e as que correm risco de extinção

Com a evolução do mundo, algumas carreiras são apontadas como “profissões do futuro”. Já outras perdem cada vez mais espaço nas empresas e no mercado. Listamos os principais exemplos de cada um dos casos

Escolher uma profissão nem sempre é uma tarefa simples. Milhares de jovens que estão prestes a entrar no ensino superior se deparam com essa angústia na hora de optar por uma faculdade. O mesmo acontece com quem quer mudar de área após passar anos a fio atuando em sua área de formação.

Com as mudanças do mundo – advento da tecnologia, transformações no modo de vida das pessoas e funcionamento das cidades, por exemplo – algumas carreiras que faziam muito sucesso no passado perderam campo de atuação e outras, popularmente chamadas de “profissões do futuro”, são apontadas como garantia de sucesso aos que decidirem seguirem-nas.

A seguir, listamos as profissões que estarão em alta e em baixa no futuro. Confira:

Profissões do futuro

– Cientista de dados

Termos como big data, inteligência artificial e data science são cada vez mais presentes no dia a dia das empresas. E o que elas mais precisam (agora e no futuro) são de pessoas qualificadas que interpretem esse sem fim de dados e transforme em informações úteis a fim de guiá-las na tomada de decisões, elaboração de planejamentos e aponte oportunidades de negócios. Cientistas da computação e engenheiros de dados fazem parte desse time.

– Gestor de conteúdo

Um dos pontos altos do marketing (juntamente com as redes sociais) é a produção de conteúdo. Trata-se do carro chefe da atuação digital de uma empresa/marca, seja na atração de novos clientes ou na consolidação da atuação em um segmento. Profissionais com criatividade, dinamismo e capacidade de vislumbrar nichos de negócios com diferentes públicos-alvo terão cadeiras garantidas nas empresas futuramente. Ah, português impecável e SEO afiado sempre serão exigidos. Afinal, qual empresa não quer aparecer na primeira página do Google? Aqui na Recriativi, agência de marketing digital da zona norte de São Paulo, essa tendência mostra-se verdadeira.

– Designer de experiência

Experiências agradáveis. É isso o que as pessoas esperam ao consumirem produtos e serviços. E o profissional que dedicar-se a resolver problemas das pessoas mediante investigação a fim de tornar essas experiências mais fáceis, claras, prazerosas e intuitivas terão cada vez mais espaço nas empresas. Hoje, já são muitos os que atuam fazendo isso em prol de uma melhor interação de clientes em produtos digitais, como aplicativos, sites e assistentes de voz (caso da Alexa e da Siri, por exemplo).

– Analista de marketing digital

Comprar online é uma preferência de 82% dos brasileiros, aponta um levantamento da NZN Intelligence. Sendo assim, profissionais especializados em traçar estratégias eficientes para que empresas tenham cada vez mais destaque em meio à concorrência on-line, cresçam no mercado e conquistem melhores resultados são (e continuarão sendo) cobiçadíssimos pelas companhias.

Nota especial

– Empreendedorismo

Tendência cada vez mais forte no Brasil, seja em períodos de crise ou fora deles, o empreendedorismo já foi definido pelo consultor Max Gehringer como “a profissão do futuro”. Por isso, quem pretende investir em um negócio próprio, deve dedicar-se a estudar o nicho de mercado onde pretende entrar, fazer cursos de aprimoramento e especialização e buscar aconselhamento de profissionais jurídicos para cuidar da parte burocrática a fim de evitar sustos futuros. Ah, e investir em marketing digital para marcar uma boa presença on-line (nesse ponto, a gente pode ajudar).

 

Profissões sem futuro

– Contador

Há anos, a digitalização dos processos causou um forte impacto no mercado de trabalho para contadores. Pois a automatização promete avançar ainda mais com o aumento do registro de operações em Blockchain, diminuindo as possibilidades de fraudes e derrubando a contabilidade por terra.

– Repórter de jornal

A diminuição da publicidade em meios impressos, a automatização do consumo de notícias on-line e as redes sociais fizeram as redações de jornais e meios impressos enxugarem em velocidade assustadora. O portal CarrerCast aponta uma perspectiva de -13% em contratações para a área até 2022.

– Corretores de seguro e analistas de risco

Se ainda há profissionais que se dedicam a calcular os riscos de perfis de novos segurados, realizar cotações e cálculos de bonificações, em um futuro bem próximo a função será inteiramente desempenhada por mecanismos que utilizem big data (olha o termo aí de novo!). Assim, softwares permitirão a realização de simulações e fechamento de contratos de forma muito mais rápida e barata para as empresas. Resultado: o fim de novas contratações para a demanda.

– Agente de viagem

Se lembra quando, alguns meses antes de sair de férias, você procurava um profissional destes para realizar cotações de voos e hotéis, sugerir destinos que se alinhassem às suas expectativas e apresentasse possibilidades inusitadas de locais a serem explorados? Pois a área do turismo viu seu número de profissionais minguar com a multiplicação dos sites que oferecem pacotes de viagem, passagens de avião e oferecem navegação cada vez mais intuitiva. Com isso, para os próximos anos, a diminuição de vagas para a função é de 12%.

 

Curtiu o conteúdo? Então divida-o com amigos e parentes que estão pensando (ou repensando) a carreira. E se quer mais informações sobre produção de conteúdo, marketing digital, como aparecer na primeira página do Google e redes sociais, não deixe de conferir outros de nossos posts aqui no blog!